Efeito da vinhaça na membrana impermeabilizante usada nos tanques de armazenamento

Main Article Content

Fernando Luiz Lavoie
Benedito de Souza Bueno
Paulo César Lodi

Resumo

Esse trabalho avaliou o efeito da vinhaça (resíduo da cana-de-açúcar) em geomembranas de polietileno de alta densidade (PEAD) tendo-se em vista que esta é lançada a temperaturas de 80-90˚C sobre a geomembrana nos tanques de armazenamento. Objetivou-se avaliar a resistência da geomembrana em contato com esse resíduo num período total de avaliação de quatro (4) meses. Foram avaliadas as propriedades físicas, mecânicas e análise termogravimétrica (TGA) para avaliação da degradação das membranas poliméricas frente aos resíduos químicos utilizados. Os resultados obtidos mostram que, de forma geral, a vinhaça afetou significativamente as geomembranas em alguns aspectos, como por exemplo, a espessura do material que variou em 7,8% (aumento). Considerando-se os valores médios nas duas direções, observou-se para o escoamento uma expressiva perda de resistência à tração (34,13%) e deformação (23,48%) e um aumento no módulo de elasticidade (9,63%). Para a ruptura, o comportamento foi semelhante. Houve perda de 32% para a resistência à tração e 24,4% para a deformação. Houve pequena perda de resistência ao rasgo (4,72%) e ligeiro aumento na resistência ao puncionamento (7,9%) após a imersão das geomembranas. Os ensaios de TGA não conseguiram detectar evidências de degradação nas amostras de geomembranas após as exposições, mas identificaram problemas na qualidade do material fornecido.

Article Details

Como Citar
Lavoie, F., Bueno, B., & Lodi, P. (2013). Efeito da vinhaça na membrana impermeabilizante usada nos tanques de armazenamento. Revista Brasileira De Ciências Ambientais (Online), (29), 128-138. Recuperado de http://rbciamb.com.br/index.php/Publicacoes_RBCIAMB/article/view/284
Seção
Artigos