Mecanização da colheita da cana-de-açúcar: benefícios ambientais e impactos na mudança do emprego no campo em São Paulo, Brasil

Main Article Content

Sergio Alves Torquato

Resumo

Este artigo tem como objetivo identificar o impacto social do aumento da colheita mecanizada da cana-de-açúcar, determinar a exclusão líquida de trabalhadores rurais (cortadores de cana) no estado de São Paulo, Brasil, maior produtor nacional de cana-de-açúcar, respondendo por 54,2% da produção nacional. Para efeito do estudo são utilizadas, como base, as informações oriundas das usinas signatárias ao Protocolo Agroambiental Paulista. Sempre houve consenso que a eliminação da queima da cana para fins de colheita traria benefícios ambientais, principalmente para a qualidade do ar, mas na questão social as incertezas eram grandes quando da assinatura da Lei 11.241de 2002 e, posteriormente, do referido Protocolo Agroambiental em 2007. Foi observado que parte do contingente excluído no processo de mecanização da colheita foi requalificado e readmitido em outras funções no próprio setor canavieiro, e igualmente em outros setores. Assim os resultados mostraram que a hipótese de desemprego em massa não se verificou por conta também do bom momento da economia brasileira verificada nos anos que se seguiram aos compromissos assumidos voluntariamente pelo setor em 2007. Isto possibilitou que outras atividades econômicas, como o setor de construções e serviços absorvesse parte deste contingente de trabalhadores. Outra categoria de agente impactado por esse processo são os fornecedores de cana, que em sua maioria exploram pequenas áreas com cana e têm dificuldade para viabilizar a colheita mecanizada, sejam por conta de baixa produção, declividade e dificuldades técnicas e financeiras para realizar a sistematização da área e compra de máquinas.

Article Details

Como Citar
Torquato, S. (2013). Mecanização da colheita da cana-de-açúcar: benefícios ambientais e impactos na mudança do emprego no campo em São Paulo, Brasil. Revista Brasileira De Ciências Ambientais (Online), (29), 49-62. Recuperado de http://rbciamb.com.br/index.php/Publicacoes_RBCIAMB/article/view/277
Seção
Artigos