Estudo de distintos níveis holárquicos para uma região metropolitana por meio da aplicação de Indicadores de sustentabilidade ambiental e de saúde

Main Article Content

Carlos Machado de Freitas
Paulo Roberto do Nascimento
Rubens Landin
Juliane Gaviolli
Silvana Audrá Cutolo
Natasha Ceretti Maria
Amanda Silveira Carbone
Renata Ferraz de Toledo

Resumo

Problemas ambientais e de saúde adquirem caráter, magnitude e imprevisibilidade em grandes metrópoles, havendo pouco entendimento das motricidades desses processos e fraca articulação da unidade metropolitana para com seus componentes, os municípios. Este artigo objetiva estabelecer uma concepção teórica e metodológica para abordagem de um sistema metropolitano, a Região Metropolitana de São Paulo, sob uma perspectiva de sustentabilidade ambiental e de saúde. Para isso, estuda-se a metrópole enquanto sistema holárquico auto-organizável aberto, aplicando-se uma matriz de indicadores de modo a diferenciar como questões socioeconômicas, ambientais e de saúde se distribuem conferindo características singulares aos 39 municípios componentes, compreendidos como hólons. Aplica-se a análise sobre a questão das áreas de mananciais distribuídas de modo desigual em municípios periféricos, os quais possuem condições precárias de pressão por ocupação, indicadores de inclusão social e de saúde. Os resultados obtidos permitem inferir que a sustentabilidade necessita ser analisada a partir de outras centralidades que se constituem em uma região metropolitana, como na questão do provimento de serviços ambientais como a água, superando a expressão de determinados municípios concentradores de população e renda. Esta concepção pode ser considerada como relevante motivação à retomada da gestão metropolitana com foco na sustentabilidade.

Article Details

Como Citar
Giatti, L., Freitas, C., Nascimento, P., Landin, R., Gaviolli, J., Cutolo, S., Maria, N., Carbone, A., & Toledo, R. (2013). Estudo de distintos níveis holárquicos para uma região metropolitana por meio da aplicação de Indicadores de sustentabilidade ambiental e de saúde. Revista Brasileira De Ciências Ambientais (Online), (30), 79-88. Recuperado de http://rbciamb.com.br/index.php/Publicacoes_RBCIAMB/article/view/271
Seção
Artigos