Análise da Qualidade de Vida, Capacidade para o Trabalho e Nível de Estresse em Trabalhadores da Construção Civil

Main Article Content

Hernani Camilo Valinote
Lilian Fernanda Pacheco
Fabiana Pavan Viana
Cibelle Kayenne Martins Roberto Formiga

Resumo

Analisou-se o perfil epidemiológico, fatores de riscos envolvidos na atividade e QV do trabalhador da construção civil. Pesquisa de delineamento transversal, de caráter epidemiológico, com 71 trabalhadores. Foram aplicados: Questionário Epidemiológico, Critério de Classificação Econômica da ABEP, Questionário de Qualidade de Vida, Perfil do ambiente e condições de trabalho, Índice de Capacidade para o Trabalho, Questionário de Sintomas Osteomusculares e Job Stress Scale. Os resultados foram analisados descritivamente e correlacionados. Houve uma predominância de trabalhadores pardos, média de 36 anos, primeiro grau de escolaridade, sedentários, classe econômica “C”, receberam treinamento, possuíam boa percepção de QV e saúde, boa capacidade para o trabalho e baixo índice de estresse. As variáveis revelaram que a idade está relacionada com a qualidade de vida, capacidade para o trabalho e nível de estresse. Conclui-se que quanto melhor o ambiente e as condições de trabalho melhor será a QV e menor a percepção do estresse.

Article Details

Como Citar
Valinote, H., Pacheco, L., Viana, F., & Formiga, C. (2014). Análise da Qualidade de Vida, Capacidade para o Trabalho e Nível de Estresse em Trabalhadores da Construção Civil. Revista Brasileira De Ciências Ambientais (Online), (32), 115-126. Recuperado de http://rbciamb.com.br/index.php/Publicacoes_RBCIAMB/article/view/253
Seção
Artigos