GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS EM CAPITAIS BRASILEIRAS ALTERNATIVAS PARA UM MODELO DE GESTÃO

Main Article Content

Christian Luiz da Silva
Gabriel Massao Fugii
Alain Hernández Santoyo
Nadia Solange Bassi
Marta Chaves Vasconcelos

Resumo

O presente artigo tem como principal objetivo comparar a gestão dos
resíduos sólidos de dez capitais brasileiras, destacando seus aspectos
negativos e positivos. Muitos municípios brasileiros possuem dificuldades
em fazer uma gestão adequada dos resíduos sólidos urbanos devido a
vários fatores, como: falta de capacidade financeira e administrativa, pouca
capacidade técnica na gestão dos serviços de limpeza pública, além do
tema não ser uma prioridade em muitos casos para a gestão pública. Tratase
de uma pesquisa qualitativa e de análise de conteúdo, que busca
compreender melhor a forma de gestão dos resíduos sólidos desde o
planejamento até a aplicação. Com os resultados observam-se que a
maioria dessas capitais possui uma gestão que contempla a coleta seletiva,
tratamento, pontos de transbordo, cooperativas de catadores de papel,
além da parceria da prefeitura com programas e projetos específicos
envolvendo os resíduos sólidos. Entretanto, problemas básicos ainda
persistem, como o não atendimento da coleta a 100% da área urbana em
alguns municípios e a demanda por mais aterros pela exaustão dos atuais e
pelo crescente volume de novos resíduos destinados.

Article Details

Como Citar
Silva, C., Fugii, G., Santoyo, A., Bassi, N., & Vasconcelos, M. (2014). GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS EM CAPITAIS BRASILEIRAS ALTERNATIVAS PARA UM MODELO DE GESTÃO. Revista Brasileira De Ciências Ambientais (Online), (33), 118-132. Recuperado de http://rbciamb.com.br/index.php/Publicacoes_RBCIAMB/article/view/240
Seção
Artigos