PERCEPÇÃO AMBIENTAL E EDUCAÇÃO PATRIMONIAL: ESTUDO DE CASO SOBRE A CONSERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO PALEONTOLÓGICO

Main Article Content

Marcelo de Oliveira Soares
Wedja Suhelen Paes da Silva
Luana Kelly Ferreira da Silva
Thais Chaves da Silva

Resumo

Os fósseis no Brasil têm adquirido valor econômico junto à população local, o
que leva a um tráfico ilegal, sobretudo internacional. Nesse contexto, a
educação patrimonial possibilita o acesso ao conhecimento necessário para
que a sociedade adquira o hábito de preservar este importante patrimônio.
Assim, foram desenvolvidas atividades em um sítio fossilífero de importância
mundial (Chapada do Araripe, NE Brasil) para capacitar a população a gerar
renda através de réplicas de fósseis, analisar a percepção ambiental quanto
ao patrimônio paleontológico e conscientizar a comunidade quanto à
importância dos fósseis. Foram realizadas etapas distintas de atividades, que
incluíram oficina de réplicas, produção de “mapas mentais” e aplicação de
questionários. Ressalta-se entre os resultados, o reconhecimento da
importância da fabricação de réplicas como uma alternativa sustentável ao
tráfico, o reconhecimento do paleoambiente pela população e a necessidade
de propagar o conhecimento adquirido, voltado à conservação ambiental dos
fósseis. O estudo de caso analisado pode servir de exemplo para a discussão
mundial do desenvolvimento sustentável em áreas de significativo
patrimônio geológico.

Article Details

Como Citar
Soares, M., Silva, W., Silva, L., & Silva, T. (2014). PERCEPÇÃO AMBIENTAL E EDUCAÇÃO PATRIMONIAL: ESTUDO DE CASO SOBRE A CONSERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO PALEONTOLÓGICO. Revista Brasileira De Ciências Ambientais (Online), (33), 100-117. Recuperado de http://rbciamb.com.br/index.php/Publicacoes_RBCIAMB/article/view/238
Seção
Artigos