CLASSIFICAÇÃO DOS RESÍDUOS DE SERVIÇO DE SAÚDE TRATADOS EM UMA PLANTA DE AUTOCLAVAGEM COM BASE NA PRESENÇA DE SUBSTÂNCIAS NÃO-VOLÁTEIS NO LIXIVIADO

Main Article Content

Renata Nautran Dalles
Rodrigo Latanze
Cristina Filomena Pereira Rosa Paschoalato
Reinaldo Pisani Júnior

Resumo

Resíduos de Serviços de Saúde (RSS) tratados em uma
planta de desinfecção por autoclavagem em escala real
foram classificados como resíduos perigosos (Classe I) ou
não-perigosos (Classe II), com base nas normas da
Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) NBR
10.004/2004, NBR 10.005/2004 e NBR 10.007/2004.
Estabelecido o intervalo de confiança de 98%, estimou-se
que 20 amostras seriam suficientes para representar os
RSS processados na unidade. As concentrações de 11
substâncias não voláteis foram comparadas com os
limites do anexo F da NBR 10.004/2004. As principais
concentrações encontradas nos lixiviados dos RSS foram:
cádmio (entre 0,01-0,19 mg.L-1), fluoreto (0,19-1,22
mg.L-1) e mercúrio (0,05-0,16 mg.L-1). Uma vez que a
concentração de mercúrio excedeu o limite de 0,10 mg.L-
1 em 5 amostras, os RSS tratados na unidade foram
classificados como perigosos. Sendo assim, sua disposição
final deveria ser efetuada em aterro licenciado para
resíduos perigosos e não em aterro sanitário, como tem
sido atualmente praticada.

Article Details

Como Citar
Dalles, R., Latanze, R., Paschoalato, C., & Pisani Júnior, R. (2014). CLASSIFICAÇÃO DOS RESÍDUOS DE SERVIÇO DE SAÚDE TRATADOS EM UMA PLANTA DE AUTOCLAVAGEM COM BASE NA PRESENÇA DE SUBSTÂNCIAS NÃO-VOLÁTEIS NO LIXIVIADO. Revista Brasileira De Ciências Ambientais (Online), (34), 9-21. Recuperado de http://rbciamb.com.br/index.php/Publicacoes_RBCIAMB/article/view/213
Seção
Artigos